Trabalho a distância exige segurança

Empresas precisam definir regras de comportamento, diz Plínio Targa, da Unify

 

Para Plínio Targa, diretor geral da Unify para a América Latina, a demanda por soluções tecnológicas de trabalho a distância no Brasil mostra-se animadora. Ele reconhece que o momento é complicado para a economia, mas acha que é hora de aproveitar as oportunidades.

 

Nas épocas de crise, avalia Targa, a tecnologia, principalmente na área de telecomunicações, desempenha papel importante porque ajuda as companhias a reduzirem custos. O próprio trabalho a distância resulta da necessidade de ganhar produtividade em tempos de globalização. As empresas hoje mantêm escritórios em vários países, com diferentes fusos horários, e seu pessoal precisa estar disponível mais tempo. E o mesmo acontece com seus clientes, que devem ser contatados até quando se encontram fora de suas bases.

 

Mas, antes de adotar o trabalho remoto, há pelo menos três aspectos a considerar, segundo Targa. O primeiro é estabelecer regras e padrões de comportamento para os colaboradores. O segundo é escolher a tecnologia correta, que não faça o funcionário perder ainda mais tempo. O terceiro, e mais importante, é segurança. Porque a empresa precisa permitir o trabalho fora de suas instalações sem a exposição de dados importantes.

 

Redes sociais e mobilidade, diz Targa, são combustíveis da nova maneira de trabalhar. “Eu entendo como um círculo virtuoso a interação mídias sociais-trabalho a distância.” Muitas empresas relacionam-se com seus clientes e fornecedores quase exclusivamente por essas redes, tornando cruciais a qualidade das soluções e os cuidados com a segurança. Tanto que algumas corporações criaram funções executivas específicas, como a de RSO (risk security officer).

 

Em entrevista exclusiva ao Futurecom All Year, Targa fala também sobre a importância da operação brasileira, uma das quatro maiores da corporação Unify, e assegura que sua expectativa para investimentos no país continua positiva. Assista ao vídeo e conheça em detalhes a opinião do executivo sobre trabalho a distância, mobilidade e segurança.

 

 

Fonte: Blog Futurecom